terça-feira, 24 de junho de 2014

Revelações de um cabelo nu


Adoro cabelo grande. Meu cabelo cobrindo minhas costas como um terno abraço é uma companhia. Também gosto de cabelo com volume, meio despenteado. Pintava de vermelho. Um dia, uma decisão: vou deixar meu cabelo nu. E deixei. 

Ah, ouvi cada coisa enquanto o branco foi aparecendo e percorrendo aos poucos o caminho da raiz até as pontas. Considerei escrever um livro com o que ouvi. E era sugestão pra cortar bem curtinho, um corte transado, prender assim ou assado, fazer umas mechas coloridas, usar um shampoo azul pra cabelos brancos. Isso quem me sugeriu tinha o cabelo completamente azul e discordava quando eu dizia que o shampoo azularia minhas madeixas, não azula, não, nem-se-pre-o-cu-pe!, já uso faz teeempo e meu cabelo nunca azulou. A criatura dizia isso e apontava triunfante pra a própria cabeleira anil anil. 

Afinal, todo grisalho. Cinco anos se passaram até a completa nudez. Vou pular a parte de gente me sugerindo o que fazer, gente perguntando por quê, gente elogiando e gente em campanha pra eu voltar a tingir. 

Vou direto pra um episódio específico que é um pouco de cada coisa e mais um tantinho. Meu pai adoeceu seriamente e precisou ser internado. Um cardiologista foi vê-lo na emergencia do hospital. Depois da alta, fomos à sua clínica. A consulta de meu pai durou dez minutos. Os outros trinta minutos dentro da sala foram gastos no diagnóstico enfático de que eu estava deprimida e precisava de anti-depressivos. Uma mulher com o rosto tão jovem e esse o cabelo branco? Depressão. De cara achei que ele estava brincando. Contra-argumentei, mostrei unhas pintadas cada uma de uma cor. E ele, firme na indicação. Eu disse que estava escrevendo num livro as impressões sobre o cabelo, e colocaria a opinião do doutor entre as pessoas que votavam contra a grisalhez. Mas o cara estava sério, convencido do que dizia e realmente 'querendo ajudar'. Apelou para o suposto desinteresse sexual masculino. E seu marido? Caí na besteira de dizer que meu marido curtia. Tem um mentiroso em casa! Bom, era melhor sair logo antes de ter de pagar por duas consultas... Mas, naquela consulta, descobri com mais clareza uma coisa.

Gente, descobri o poder de um cabelo nu: ele desnuda o que vai na cabeça das pessoas. Por dentro!



Nenhum comentário:

Postar um comentário